Início da migalha de pão Fim da migalha de pão Início do Conteúdo

Experiência com o novo andador da Mercur

Por Diversidade na Rua, em 17 de janeiro de 2016
A imagem mostra onze pessoas posando para a foto, sendo que duas (um senhor e uma menina) estão utilizando o andador quatro rodas da Mercur. A menina é a Letícia, que possui cabelo liso na cor preta e utiliza uma blusa branca, calça preta e um casaco vermelho. Todos sorriem para a foto.
A imagem mostra onze pessoas posando para a foto, sendo que duas delas (um senhor e uma menina) estão utilizando o andador quatro rodas da Mercur. A menina é a Letícia, que possui cabelo liso, preto e utiliza uma blusa branca, calça preta e um casaco vermelho. Todos sorriem para a foto.

 

Meu nome é Letícia, tenho 18 anos, nasci prematura e isso resultou em uma leve lesão motora que implica em limitações no meu equilíbrio. Dei meus primeiros passos aos oito anos e sempre precisei da ajuda de alguém para caminhar. Já tentei usar muletas, mas foi com o novo modelo de andador da Mercur que me adaptei e foi a melhor coisa que me aconteceu.

Minha relação com o andador de quadro rodas da MERCUR começou em fevereiro de 2014, quando a empresa convidou  minha fisioterapeuta, Carla, para testar o andador com seus pacientes. Foi então que a Carla pensou que desta vez poderia dar certo e  foi o que aconteceu. No primeiro momento em que eu usei o andador, percebi que mudaria minha vida. Ele me deu mais estabilidade para caminhar, mais segurança, melhorou minha postura e meu andar, mas principalmente, possibilitou minha autonomia nas tarefas cotidianas.

Nesse tempo em que estou utilizando o andador vivi momentos que se não fosse  ele com certeza não viveria. O andador já se tornou um amigo inseparável na minha vida!

Foi uma honra ter participado de alguma forma desse processo do novo modelo de andador da MERCUR! Assim como ele mudou a minha vida, tenho certeza de que mudará também a vida das pessoas. Obrigada equipe MERCUR!

Leia mais sobre os andadores quatro rodas e com assento. (link para outro site)

Galeria de imagens

Leia também estes conteúdos relacionados:

  • Imagem de Educação Física Inclusiva

    Ao longo de toda a minha carreira de muitos anos como professora de Educação Física no ensino fundamental e médio em escolas públicas, tive diversos alunos com limitações físicas, sensoriais e...

  • Imagem de Eu posso, eu consigo
    Diversidade na Rua

    em 21 de julho de 2016

    Eu posso, eu consigo

    Me chamo Mel Reis, tenho 31 anos e sou apaixonada pelo balé clássico desde os 13 anos. Aos 17, sofri uma fratura em um acidente de moto. Passados agora 13 anos e inúmeras cirurgias, amputei a perna...

Deixe seu comentário

Fim do Conteúdo
Início do rodapé Fim do rodapé