Início da migalha de pão Fim da migalha de pão Início do Conteúdo

Moda alinhada às necessidades das pessoas

Por Diversidade na Rua, em 26 de janeiro de 2018
  • Foto de Diversidade na Rua
    Diversidade na Rua

    em 26 de janeiro de 2018 às 11:14:05

    Carolina Levien tem 23 anos e é cadeirante há três. Desde os quinze anos ela convive com uma condição chamada Polimiosite, que a faz perder a força nos músculos. Nascida em Pelotas, interior do Rio Grande do Sul, atualmente reside na Alemanha, para onde foi em busca de novos tratamentos e, de lá, Lina, como é conhecida, escreve sobre moda, arte, inclusão e conta um pouco sobre a sua rotina.

    Para Lina, a moda é uma forma de se comunicar e se expressar. “Eu expresso por meio das minhas roupas quem eu sou e comunico como eu quero ser vista. A moda também é muito individual. Eu não visto moda-tendência porque o que eu gosto de usar não muda de mês em mês”, conta.
    Ela será mediadora do próximo debate aberto que será realizado no dia 30 de janeiro, às 19h. No debate ela pretende contar um pouco sobre a sua relação com a moda, rotina de beleza e autoestima, além de falar sobre projetos de cocriação e iniciativas como “O Meu Corpo é Real” e o “Fashion Day Inclusivo”, que trazem informações menos generalizadas e superficiais sobre todos os tipos de corpos.

    Participem!

  • Foto de Juca Levien
    Juca Levien

    em 30 de janeiro de 2018 às 15:46:03

    Já estamos aqui só esperando por ti Lina Levien.
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:02:31

      Chegueiii! :))
  • Foto de Diversidade na Rua
    Diversidade na Rua

    em 30 de janeiro de 2018 às 19:00:11

    Olá, bem-vindos a mais um debate online. Esperamos que vocês tenham uma agradável noite com um bate-papo leve, com muitas trocas de experiências e aprendizados. A nossa mediadora, Lina, já está disponível para a conversa. Pessoal, às 19h45min, faremos uma pausa de 10 min na conversa, assim todos podem descansar um pouco. Às 19h55min retornaremos e seguiremos até ás 20h30min. Combinado? Ótimo debate!
  • Foto de Lina Levien
    Lina Levien

    em 30 de janeiro de 2018 às 19:01:11

    Boa noite, pessoal! Tudo bem com vocês? Eu sou a Lina! Estou aqui à disposição para comentar, dar dicas… seja qual for a pergunta, eu vou dar o meu melhor para responder. E sintam-se a vontade para responderem uns aos outros também! Essa é a melhor parte do debate online ser em fórum \o/ Eu digito meio devagarinho, então não se preocupem se eu demorar um pouco ok? :) Vamos lá começar então! Digam-me: o quê trouxe vocês aqui hoje?
    • Diversidade na Rua
      Diversidade na Rua

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:06:35

      Boa noite Lina! Estamos muito felizes com a tua participação e mediação neste debate online. Obrigado por ter aceitado dedicar um pouco do seu tempo neste bate-papo, que, com certeza, irá proporcionar discussões saudáveis acerca desta temática. :) Equipe Diversidade na Rua
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:07:52

      Muito obrigada pelo convite! Estou muito alegre de estar aqui :)
  • Foto de Gustavo Torniero
    Gustavo Torniero

    em 30 de janeiro de 2018 às 19:02:52

    Boa noite pessoal! Lina, você acredita que os concursos de beleza especificamente para pessoas com deficiência segregam ou incluem?
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:05:13

      Boa noite, Gustavo! Na minha opinião eles segregam. Elas deveriam estar incluídas nos mesmos concursos para quem não possui uma deficiência.
    • Rita Louzeiro
      Rita Louzeiro

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:25:45

      Até mesmo os desfiles tem sido feitos em separado...
  • Foto de Gustavo Torniero
    Gustavo Torniero

    em 30 de janeiro de 2018 às 19:08:51

    Mas você não acha que é um passo de cada vez?
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:10:57

      Concordo no sentido de que existir concurso de beleza para meninas e mulheres é um passo enorme. No entanto, o ideal é ter todas reunidas em um concurso só. Qual a sua opinião? :)
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:11:50

      meninas e mulheres com deficiência* hihi comi duas palavrinhas
    • Gabriela Ávila Marques
      Gabriela Ávila Marques

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:12:03

      Também acho que elas deveriam estar incluídas nos mesmos concursos. Por que deveríamos segregar para depois unificar?! Seria essa a lógica do "um passo de uma vez", na minha opinião...
  • Foto de Gabriela Ávila Marques
    Gabriela Ávila Marques

    em 30 de janeiro de 2018 às 19:09:05

    Lina, assim como tu, também acredito que a moda seja uma forma da gente se comunicar e se expressar. Por isso, quero compreender melhor como eu, no papel de fisioterapeuta e também cidadã, posso auxiliar meus pacientes e seus cuidadores a alinhar a moda às necessidades das pessoas. Quais as dicas que poderias me dar? Muitas pessoas acabam vestindo as roupas que os cuidadores escolhem e estas, nitidamente, estão focadas apenas no conforto, não levando em conta o gosto e estilo de quem as veste.
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:18:41

      Boa noite, Gabriela! Nossa, ótima pergunta! Primeiramente, o interesse pela moda precisa vim do paciente. A vontade de vestir certas roupas é um gosto individual. No entanto, o que é bem comum é as pessoas com deficiência perderem o interesse de se vestir bem. Eu diria que como fisioterapeuta, o teu papel vai além de ajudar alguém a movimentar apenas o corpo. Movimentar a mente também é muito importante. Conversar sobre esses assuntos e perceber se o paciente se importa com Moda ou não é o primeiro passo.
    • Rita Louzeiro
      Rita Louzeiro

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:20:53

      Essa perda no interesse de se vestir bem se deve a quê?
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:30:06

      No meu caso, foi perda de autoestima. Eu não me sentia bonita ou digna de me vestir bem por causa da cadeira.
    • Gabriela Ávila Marques
      Gabriela Ávila Marques

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:31:12

      Na minha opinião, a perda do interesse está ligada principalmente ao meio. Em geral, as famílias começam a tratar o indivíduo como alguém que não é mais capaz de escolher as roupas, alguém que não precisa se preocupar com isso. Por exemplo: uma pessoa que está presa à cadeira de rodas pede para o seu cuidador pegar uma blusa e esse pega a primeira que enxerga, sem se preocupar se esta vai combinar ou não com a calça, se era para "andar em casa" ou para uma ocasião mais importante. Com isso, somada às outras frustrações, acredito que as pessoas acabem evitando se preocupar com "mais isso" e perdem o interesse. É por isso que devemos mostrar que escolher a sua roupa com base no seu conforto, mas também no seu gosto e estilo, é sim importante, além de ser um exercício de autonomia que contribui para a melhor qualidade de vida e expressão de todos nós.
    • Rita Louzeiro
      Rita Louzeiro

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:32:45

      Então áreas comuns à moda teriam um papel importante aí, como: fotografia, maquiagem, cabeleireiro... a moda inclusiva seria, no seu conjunto, um tipo de 'serviço' que serviria também ao empoderamento das pessoas com deficiência tal qual ocorre com mulheres negras...
    • Gabriela Ávila Marques
      Gabriela Ávila Marques

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:37:22

      @Lina Levien "movimentar a mente também é muito importante": EXATAMENTE! Obrigada pela super dica. Com certeza farei isso!!
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:42:21

      Concordo com vocês! Felizmente, na minha família eu sempre fui estimulada a não perder a vaidade. Pela autonomia nem tanto, minha mãe ainda acha que sou um bebê kkk mas acho que muita mãe é assim né?! Mas entendo o que dizes, Gabriela. Então Rita, já existe um projeto assim que ocorre uma vez por ano! Também criado pela Michele Simões, se chama Fashion Day Inclusivo.
  • Foto de Gustavo Torniero
    Gustavo Torniero

    em 30 de janeiro de 2018 às 19:13:30

    Também acho que o ideal é colocá-las nos mesmos concursos que as demais :)
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:20:18

      :)))
  • Foto de Rita Louzeiro
    Rita Louzeiro

    em 30 de janeiro de 2018 às 19:17:48

    Você acha que seria possível a produção em larga escala atender às demandas da moda inclusiva? considerando que esse tipo de produção, para funcionar em tempo e em lucro adequados às exigências do mercado, precisa atender a padrões predeterminados... ou a moda inclusiva estaria fadada à produção em pequena escala?
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:25:33

      Boa noite, Rita! Pois é, esse é o maior problema. As pessoas com deficiência são o grupo mais diverso que existe. Produção em larga escala sempre deixará alguém de fora. E não é lucrativo para as marcas fazerem roupas customizadas o tempo inteiro. Seria necessária muita pesquisa para saber como tornar possível em larga escala. No entanto, pequenas modificações como botões, zípers é muito possível!
  • Foto de Rita Louzeiro
    Rita Louzeiro

    em 30 de janeiro de 2018 às 19:19:18

    Qual canal de vendas de produtos de moda você considera mais adequado à moda inclusiva, a venda direta ou a venda online?
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:28:49

      Os dois. Depende do caso. Para mim eu consigo comprar online tranquilo – com um pouco de pesquisa, claro. Mas para uma pessoa sem um dos membros inferiores fica mais difícil. Seria uma boa ideia ter uma costureira disponívelna loja física, que possa fazer esse tipo de customização.
    • Rita Louzeiro
      Rita Louzeiro

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:30:13

      Hum.. muito interessante essa sua resposta; tipo uma venda híbrida... vou pensar sobre isso :)
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:04:32

      você pensa em atuar nesse mercado?
    • Rita Louzeiro
      Rita Louzeiro

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:10:23

      Penso em criar uma marca nesse sentido, mas ainda estou no rascunho do esboço rsrsrs
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:18:11

      Perfeito, Rita! E se precisar tirar dúvidas ou trocar ideias, eu adorarei ajudar! :))
    • Rita Louzeiro
      Rita Louzeiro

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:39:51

      obrigada, Lina, já me ajudou muito só com esse bate papo aqui :)
  • Foto de Rita Louzeiro
    Rita Louzeiro

    em 30 de janeiro de 2018 às 19:28:57

    Poderia indicar algum autor, livro, blog, revista ou qualquer material de leitura/estudo que trate desse tema e que você considere relevante?
    • Clarice Brum
      Clarice Brum

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:35:34

      olá Lina, tudo bem? Também teia interesse em ler algo. Indicas algum autor?
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:36:03

      Sim! A Michele Simões é estilista e consultora de imagem, ela é cadeirante e coordena um projeto chamado O Meu Corpo é Real. O instagram é @meucorpoereal. De lá você tem acesso ao site e ao mini-documentário. Também gosto muito da Lizzie Velasquez. Ela tem um livro chamado Dare To Be Kind, acredito que ele esteja disponível em português também: E o blog de uma amiga muito querida chamado Cantinho dos Cadeirantes.
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:48:42

      Oi Clarice! vixi você me pegou nessa! Gosto muito da Lizzie Velasquez. Eu conheço o teu nome lá da minha página hihihi vou me informar sobre isso, ok?
  • Foto de Gustavo Torniero
    Gustavo Torniero

    em 30 de janeiro de 2018 às 19:29:04

    O que caracterizaria uma moda inclusiva? Eu tenho deficiência visual e tenho algumas noções de coisas que poderiam nos ajudar, como etiqueta em braille, por exemplo. Mas tirando isso, não sei muito bem. No caso de pessoas com deficiência física acredito que é muito mais complexo
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 19:45:16

      Ótima pergunta! Para um cadeirante começaria na entrada da loja, altura das araras e provador com espaço suficiente. Para deficiente visual acho importantíssimo ter um atendente capaz de ajudar quando precisas.
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:02:34

      As características... Menino, tens umas perguntas ótimas! Primeiro, prestar atenção em coisas como vestir e desvestir; tecidos é muito importante! Pensar nas principais deficiências, tipo um cadeirante que dirige a cadeira com os braços: as mangas precisam ser mais curtas... Acredito que moda inclusiva é uma moda inteligente, que leva em consideração funcionalidade e estética juntas.
    • Rita Louzeiro
      Rita Louzeiro

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:13:30

      'Uma moda inclusiva é uma moda inteligente', ótima definição. Pelo pouco que li até agora, penso que uma moda inclusiva tem peças adaptadas a corpos diversos e também abre espaço para belezas diversas. Assim inclui aí fotografia, maquiagem... quem sabe abrindo novas formas de exibir as criações dos estilistas, saindo dos desfiles triviais...
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:21:55

      Exatamente! É preciso substituir a imagem tabu, não-bonita que a deficiência recebe hoje em dia na indústria da moda. Um corpo é um corpo! A fotógrafa Kica de Castro já está fazendo esse trabalho lindamente! Ela possui uma agência de modelos com deficiência. É um máximo!
  • Foto de Diversidade na Rua
    Diversidade na Rua

    em 30 de janeiro de 2018 às 19:46:32

    Intervalo, pessoal!! Logo logo, voltaremos :)
  • Foto de Lina Levien
    Lina Levien

    em 30 de janeiro de 2018 às 19:46:54

    Pessoal, preciso fazer a minha pausa de 10 minutos. Aproveitem para tomar uma águinha também! Já já estou de volta! <3
  • Foto de Lina Levien
    Lina Levien

    em 30 de janeiro de 2018 às 19:58:00

    Voltei, pessoal!
  • Foto de Diversidade na Rua
    Diversidade na Rua

    em 30 de janeiro de 2018 às 19:58:10

    Olá pessoal. Vamos retomar o debate? :) Lina, tudo certo?
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:03:22

      Tudo tranquilo! Já estava respondendo lá em cima algumas :)
  • Foto de Gabriela Ávila Marques
    Gabriela Ávila Marques

    em 30 de janeiro de 2018 às 20:08:35

    Lina, o que fez tu despertar da fase "perda da autoestima"? Terias alguma dica para quem está passando por isso?
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:15:24

      As pessoas à minha volta foram peça-chave para o meu despertar. O meu marido, na época meu namorado, foi muito importante. Ele me ajudou a reenxergar uma mulher que era digna de amor e cuidado, independente de tudo. O meu pai sempre me dando uns empurrões para eu sair de casa, mesmo quando eu dizia não, ele insistia até o último minuto hahaha :P A minha mãe sempre me trazendo uma blusinha ou outra coisa que eeu poderia gostar. Estímulos, sabe? É muito importante!
    • Rita Louzeiro
      Rita Louzeiro

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:43:57

      interessante a relação entre estímulos e a construção de uma auto-imagem positiva
  • Foto de Rita Louzeiro
    Rita Louzeiro

    em 30 de janeiro de 2018 às 20:26:48

    Como você vê o papel da publicidade nisso tudo? esse movimento já se iniciou também na publicidade?
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:30:40

      Essa pergunta é bem cabeluda... vou ser bem sincera: eu acho que no geral a preocupação da publicidade é em não fazer feio. Desde que a bandeira da diversidade foi levantada, a pressão sobre as marcas ficou muito evidente e não teve mais como ignorar. Acredito que tenha as exceções, mas são poucas – pelo menos ao meu conhecimento. Ainda se fala pouco sobre pessoas com deficiência na diversidade da mídia. A diversidade da mídia fala mais sobre pessoas negras e gordas.
  • Foto de Gustavo Torniero
    Gustavo Torniero

    em 30 de janeiro de 2018 às 20:28:45

    Adorei o debate!
    • Gabriela Ávila Marques
      Gabriela Ávila Marques

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:29:42

      Foi sensacional! O tempo passou rápido demais!! Obrigada pela atenção que tiveste conosco, Lina!!
  • Foto de Lina Levien
    Lina Levien

    em 30 de janeiro de 2018 às 20:31:19

    Pessoal, vou ficar mais um pouquinho! Também estou amando!
  • Foto de Lina Levien
    Lina Levien

    em 30 de janeiro de 2018 às 20:33:48

    Estou disponível até às 20:45! :)))
  • Foto de Rita Louzeiro
    Rita Louzeiro

    em 30 de janeiro de 2018 às 20:35:20

    Lina, você é estilista? trabalha com moda? como o seu trabalho contribui para a sua identidade?
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:40:50

      Nenhum dos dois, embora adoraria me involver profissionalmente com isso. Eu sou uma curiosa. Eu considero o meu blog o meu trabalho, mesmo não ganhando dinheiro para isso. Escrever no blog, participar de um debate como esse define muito a minha identidade hoje. Eu quero servir as pessoas. Quero ajudar. Quero dar voz. Quero levar informação.
    • Rita Louzeiro
      Rita Louzeiro

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:41:38

      qual é o seu blog?
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:43:42

      O endereço é esse aqui: https://linasbeautysecretsbr.wordpress.com Ele é escrito em inglês e ocasionalmente em alemão também :)
    • Rita Louzeiro
      Rita Louzeiro

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:45:58

      ótimo! é bom que treino o inglês e arrumo um motivo pra tentar aprender alemão hehehe
  • Foto de Gustavo Torniero
    Gustavo Torniero

    em 30 de janeiro de 2018 às 20:43:16

    Se a publicidade pouco fala sobre o assunto, como podemos começar esse movimento?
    • Rita Louzeiro
      Rita Louzeiro

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:46:21

      ótima pergunta, Gustavo
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:50:40

      Eu gosto muito de trazer informações reais. Nos meus artigos de moda, por exemplo, eu digo o porquê de estar usando certa roupa. Uso pijamas de cetim e seda porque o tecido desliza para virar na cama, e eu escrevo isso! Conteúdo visual eu acho importante também, sempre tento fazer as minhas fotos como um editorial de moda ao ar livre. E poderia escrever muitas outras coisas hahaha o importante é levar informação!
    • Rita Louzeiro
      Rita Louzeiro

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:52:36

      Nunca imaginaria esse lance com o tecido de cetim... muito interessante.
  • Foto de Rita Louzeiro
    Rita Louzeiro

    em 30 de janeiro de 2018 às 20:50:04

    Quero agradecer à Lina e ao portal Diversidade na rua por ter realizado esse debate. Adorei o bate papo e as dicas. Lina, vamos construir um mundo melhor com uma moda realmente inclusiva! Que a sua curiosidade continue te movendo pelas mais belas (r)evoluções ;) Um xêro nos envolvidos!!
    • Lina Levien
      Lina Levien

      em 30 de janeiro de 2018 às 20:54:27

      Muito obrigada pelas perguntas e as palavras lindas, Rita! Sucesso na sua marca! <3
  • Foto de Diversidade na Rua
    Diversidade na Rua

    em 30 de janeiro de 2018 às 20:51:05

    Infelizmente chegamos ao fim deste ótimo bate-papo! Conversam assim fazem o tempo passar voando. Obrigado pela participação e contribuição de todos neste debate aberto. Obrigado Lina, pela tua delicadeza em nos apresentar a tua vida e tuas percepções sobre moda inclusiva. Até a próxima! Um abraço, Equipe Diversidade na Rua
  • Foto de Lina Levien
    Lina Levien

    em 30 de janeiro de 2018 às 20:52:14

    Muito obrigada pela presença de cada um! Foi uma noite incrível! Se alguém ainda tem uma pergunta e não deu tempo de eu responder, vocês podem me mandar um e-mail ou engajar comigo no blog e nas redes sociais. No instagram eu sou @LinaLevien. Eu coloquei todas as informações no meu perfil aqui no Diversidade na Rua, ok? Um super beijo, boa noite e uma semana iluminada para vocês! :) <3
  • Foto de Michele Simões
    Michele Simões

    em 30 de janeiro de 2018 às 21:07:06

    Lina parabéns pelo seu incrível trabalho, amei a forma como conduziu o debate ????
Fim do Conteúdo
Início do rodapé Fim do rodapé